Relato – Possível tentativa de abdução em Ribeirão – Pernambuco

Eu me chamo Michele hoje estou com 30 anos de idade e quando tinha 11 anos de idade morava em uma cidade chamada Ribeirão do interior do Estado do Pernambuco e certa noite por volta das 23:30 na noite eu e minha mãe Amara após virmos da igreja ficamos na frente de casa aproveitando a noite linda e se refrescando, pois no nordeste é quente; quando vi uma estrela no céu que se movia entre as duas nuvens que havia no céu , a noite estava estrelada e por coincidências com apenas duas nuvens, eu disse a minha mãe que era um avião e ate disse que ele deveria estar com problemas por que ia para frente e dava ré, sempre se escondendo entre estas duas nuvens.

Minha mãe que estava sentada na calçada logo se levantou e se debruçou sobre o muro onde eu estava para ver melhor,pois ela me confirmara que avião não dava ré, e não era colorido.

Ate brincamos dizendo que poderia ser uma lenda muito comentada na região conhecida como a Comadre fulosinha, e como eu sabia na época que não podia assoviar que ela viria nos assombrar eu duvidei pois era muito colorida para ser ela e estava muito distante na minha casa para me ouvir e alcançar…

Então assoviei por 2 vezes e fiquei dando tchau quando de repente aquela que parecia uma estrela multicolorida parou de se movimentar no céu, minha mãe logo me repreendeu para menina, pode acordar os vizinhos e antes que minha mãe terminasse de me dar a bronca sentimos um calor sobre nossos corpos e uma claridade que só poderia ser se fosse de dia quando olhamos para cima tinha um foco de luz direcionado para onde estávamos uma luz quente e que arrepiava, Vi que saia do centro do objeto com formato de prato na cor me uma metal inox, no qual não tenho como descrever o tamanho pois não conseguimos ver onde começava nem onde terminara,.eu e minha mãe muito assustada nos jogamos para dentro de casa gritando por socorro de tanto desespero …e por incrível que pareça não sabemos nem como entramos dentro de casa sem nem se machucar pois haviam 3 degrais para subir ao entrar dentro de casa e no portão só passava uma pessoa por vez, o medo foi tão grande que não sabemos nem como conseguimos as duas fugir para dentro de casa ao mesmo tempo.

Nós duas não tínhamos explicação e chorando fomos para a janela basculante do quarto de minha mãe que ficava de frente para onde ocorrera o fato, para ver se víamos mais algo, porem não havia mais nada… Foi tudo muito rápido.

No dia seguinte ao ir no jardim na frente de casa onde estávamos a plantação de coentro de minha mãe estava totalmente deitada e não se erguiam mais como se tivera nascido daquela forma, perguntamos ao casal de vizinhos se haviam ouvido nossos gritos a noite explicamos o fato a eles e eles disseram que não ouviram nada, o que fez com que eu e minha mãe ficássemos com mais medo ainda jã que esta vizinha tinha sono de passarinho e com tantos berros não ouviram nada….

Deste dia em diante eu e minha mãe não ficamos mais do que as 22:00 horas fora de casa, pois jamais imaginamos que iria acontecer algo deste tipo conosco

Hoje em dia quando conto a alguém dou risadas ao lembrar mais ainda tenho medo, tanto do ocorrido como de ficar ate mais tarde na rua, pois me recordo de tudo e ate dos arrepios me vem na memória é horrível , agora em 2012 ira fazer 3 anos que minha mãe morreu mais sempre que lembrávamos deste fato ficávamos uma a olhar para outra sem explicação e com medo de outro acontecimento deste , o por que não sei exatamente, mais no fundo creio que o nosso maior medo era de não vermos o final da vida de cada uma ….ou a ausência sem explicação, pois quem iria acreditar que uma nave nos raptou se ninguém viu ou ouviu nada a não ser nós duas .

Só quem passou por uma experiência como esta sabe que é difícil não acreditar o medo consome e a vergonha, pois dizer que passou por uma experiência como esta dependendo da pessoa que ouvir e ser humilhado pelas risadas e piadas.

Pois mesmo sem ver quem estava dentro daquele objeto voador, já me causou tanto medo ate nos dias de hoje imagina quem teve um contato mais próximo.

Hoje em dia não gosto nem de lembrar este passado pois ainda me recordo com medo, e quando alguém me pergunta se existe extraterrestre prefiro acreditar que não sei nem do que se trata, mais e algo que me persegue não sei qual o motivo, mais acredito que minha vida nunca mais foi a mesma ate os dias de hoje.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*