Dyatlov Pass – A Montanha dos Mortos

Dyatlov Pass – A Montanha dos Mortos

 
Fevereiro de 1959 – Um grupo de nove alpinistas começa uma expedição pelos Montes Urais, na Rússia. Seu destino é uma montanha chamada Otorten, que na língua mansi local significa “Não vá até lá”. Lendas locais já mencionavam o lugar como maligno. Em 1991, um avião caiu no local, onde também morreram nove pessoas.
O grupo formado para uma expedição ao norte das Urais, liderado por Igor Dyatlov, consistia de oito homens e duas mulheres, a maioria estudantes ou graduados do Instituto Politécnico de Ural (atualmente Universidade Técnica Estadual de Ural), mas uma das mulheres não prosseguiu, por problemas de saúde. Todos os integrantes possuíam experiência em excursões de esqui e expedições em montanhas.. Contudo, uma nevasca obrigou o grupo a acampar numa área chamada Kholat Syakhl, que em mansi significa ”Montanha dos Mortos”.
“Era um lugar muito inóspito, muito estranho, muito difícil de permanecer. O vento era frio, congelante e havia pouca vida ao redor. eles decidiram passar a noite de 1º de fevereiro numa clareira, não muito longe do topo da montanha. Eles não queriam voltar para a floresta, a 1,5Km, porque levaria muito tempo e perderiam o dia.” (Paul Stonhill)
- A busca
 
 Dez dias depois, quando os aventureiros não chegaram ao seu destino, equipes militares de resgate fizeram buscas na área. Encontraram o acampamento abandonado e uma barraca destruída. Investigadores concluíram que a barraca fora cortada e rasgada a partir de dentro, e que os montanhistas pareciam ter fugido apenas de meias ou descalços. Em 26 de fevereiro, as equipes de busca encontraram o acampamento abandonado. A barraca estava arruinada, e um conjunto de pegadas seguiam até a margem de um bosque próximo, estando cobertas por neve após 500 metros. Na beira da floresta, sob um grande e antigo pinheiro, foram encontrados os restos de uma fogueira, juntamente com os primeiros dois corpos, descalços e usando apenas roupa de baixo.
Os investigadores seguiram a trilha até a orla da floresta, mas o que acabaram encontrando era além da imaginação…
 Os nove estavam mortos. Foram descobertos por soldados soviéticos em vários estados que só podem ser descritos como de mutilação. Os corpos estavam queimados, alguns foram expostos à radiação e um montanhista teve (pasmem) a língua arrancada!
Mas o que mais chocou , foi que inexplicavelmente eles estavam prematuramente envelhecidos! A pele estava laranja, e o cabelo estava branco. Constatou-se também que a força desconhecida que atingiu os montanhistas era muito seletiva, afinal não havia tocado a neve, as árvores, nem nada ao redor.O que podia explicar aquilo?
 Outro fato muito estranho que a necropsia dos corpos revelou foi que 3 deles tinham ferimentos que podem ser causados quando alguém é atropelado por um carro veloz, mas eram ferimentos internos. As costelas estavam esmagadas, algumas penetraram os corações, mas as peles estavam intactas. Parecia que uma força havia sido dirigida a todos eles.
 
-O que foi dito
A explicação oficial foi de que os nove morreram de hipotermia, mas o investigador chefe se recusou a assinar o relatório e preferiu se retirar do inquérito. Um dos chefes foi afastado rapidamente da investigação por ser muito meticuloso e as autoridades queriam abafar o caso. Os corpos foram enterrados em caixões de zinco para que ninguém os visse.
Inicialmente, especulou-se que o povo indígena Mansi poderia ter atacado e assassinado o grupo por invadir seu território, mas as investigações indicaram que a natureza das mortes não suportaria tal tese; apenas as pegadas dos esquiadores eram visíveis, e eles não apresentavam sinais de combate corpo-a-corpo.
 Anos depois, membros do grupo de busca deram seu testemunho: Segundo eles, na noite do incidente estranhas esferas alaranjadas pairavam no céu. Lev Ivanov, chefe da investigação, disse durante entrevista em 1990 que, nos meses de fevereiro e março de 1959, diversas testemunhas, incluindo militares e meteorologistas, haviam relatado a visão de “esferas voadoras brilhantes” na área. Ivanov afirmou, na mesma entrevista, que já na época do incidente imaginara haver algum tipo de relação entre os casos. Os  envolvidos no caso, inclusive acreditam que as esferas em si podem ser formas de vida ou podem ser sondas extraterrestres.
O veredito final foi que todos os integrantes do grupo morreram devido a uma “força incontrolável desconhecida”. O inquérito foi oficialmente encerrado em maio de 1959 devido à “ausência de parte culposa”. Os documentos relativos ao caso foram então arquivados, sendo divulgados ao público somente na década de 1990, ainda assim em fotocópias com diversas partes ausentes.
 Esse é um dos casos de assassinato mais misteriosos da ex-União Soviética.
No passado, segundo uma antiga lenda mansi, a Montanha dos Mortos foi assim chamada devido a um acidente semelhante em que nove homens mansis também foram encontrados mortos enquanto tentavam se salvar de uma inundação da antiguidade.
Mas o que pode ter levado nove montanhistas experientes a fugirem desesperados de seu acampamento? E que forças estranhas podem ter causado mortes tão violentas? Os montanhistas podem ter sido atacados por seres extraterrestres, como alguns teóricos acreditam?
Henrique Ab Origine
Escritor e estudioso.
Curioso a cerca dos grandes mistérios das antigas civilizações